Os menus mudam semanalmente. E de acordo com a produção das hortas, o Bistrô se atreve a explorar uma variedade de identidades gastronômicas. Assim, clássicos da cozinha ganham um toque contemporâneo e local. De origem espanhola, a sopa fria de tomate gazpacho aqui é preparada com um ingrediente bem brasileiro: a farinha de mandioca. Partindo à Grécia, o delicioso prato dakos é servido sobre pão torrado de cevadinha, queijo feta caseiro, tomates, azeitona preta, orégano fresco e uma dose generosa de azeite de oliva.

O Bistrô dá prioridade a sua própria produção de ingredientes e também a de fornecedores locais, esforçando-se para participar de uma gastronomia km0 (quilômetro zero). Alguns parceiros pertecem a comunidades quilombolas vizinhas onde as técnicas tradicionais de cultivo e produção ainda se mantêm vivas: como o beneficiamento da farinha de mandioca em forno à lenha, a extração do óleo do coco licuri e a fabricação manual de melado de cana.

As plantas alimentícias não convencionais (PANC), entre elas a capuchinha, beldroega, serragem e borragem aparecem em várias receitas do Bistrô dando a oportunidade de se experimentar sabores inusitados e muitas vezes desconsiderados.

Certamente os jardins do Bistrô são a inspiração de cada estação para o que é servido à mesa, proporcionando uma incomparável seleção de sabores e cores em cada prato. Veja galeria de fotos...